2 de março de 2016

Entrevista: Lavínia Rocha

A entrevista de hoje é com a jovem autora de Um Amor em Barcelona, De Olhos Fechados e Entre 3 Mundos, Lavínia Rocha.

Leio na Rede, Gaby Monteiro
Foto: Denilson Novaes

Leio na Rede: Quando você decidiu que queria escrever um livro?

Lavínia Rocha: Eu tinha 11 anos e vi que adorava inventar histórias para os deveres de Produção de Texto, mas me irritava o limite de 30 linhas que a professora determinava. Então decidi escrever no computador do tamanho que eu quisesse. Só que naquela época, eu ainda não sabia que o que eu escrevia viria a se tornar livros...


Leio na Rede: Como foi o processo de buscar uma editora?

Lavínia Rocha: Essa foi uma das partes mais difíceis. O meu primeiro livro (Um amor em Barcelona) foi publicado de forma independente, mas o segundo (De olhos fechados) era bem maior e ficaria muito mais caro, por isso eu precisava encontrar uma editora que bancasse o projeto.  Mandei email para muitas e suspeito que várias delas nem tenham lido. Até que conheci o dono da editora D’Plácido pessoalmente e mostrei Um amor em Barcelona, além de enviar De olhos fechados para ele. O pessoal da editora adorou o livro e, desde então, publico as minhas histórias com eles.


Leio na Rede: Qual seu processo de escrita? Você esquematiza todo o livro antes de desenvolvê-lo ou simplesmente vai escrevendo?

Lavínia Rocha: Eu sou o que as pessoas costumam chamar de “escritora jardineira”, aquela que “planta” a ideia e deixa crescer. Costumo começar os meus livros sem muita noção do que vai acontecer, só com uma ideia base mesmo. Aos poucos, a história vai surgindo.
No entanto, com Entre 3 mundos eu experimentei um pouco do que é ser uma “escritora arquiteta”, pois o livro que lancei é uma reescrita. Apesar de ter mudado várias coisas, a ideia principal é a mesma e gostei muito de trabalhar assim.


Leio na Rede: Seus personagens são baseados em pessoas conhecidas ou você os criou totalmente?

Lavínia Rocha: Meus personagens costumam ter algumas características de pessoas conhecidas, mas não são exatamente baseados em alguém. Gosto de ter a liberdade de criar características inusitadas ou de mesclar várias personalidades em um personagem só.


Leio na Rede: Seu primeiro romance “Um Amor em Barcelona” foi escrito quando você tinha 11 anos, agora ele está sendo rescrito para lançamento com a D’Plácido. Como foi esse processo? Você se surpreendeu com o que escreveu quando mais nova? Quais as sensações de fazer essa rescrita?

Lavínia Rocha: Eu decidi não mexer muito na história original. Acho importante deixar as marcas da minha pré-adolescência. Então em vez de começá-lo do zero, reli o texto e modifiquei o que achava necessário.
Quando leio UAEB tenho a sensação de voltar aos 11 anos, é fantástico, me divirto muito ao perceber como eu costumava pensar e ver a vida.


Leio na Rede, Gaby Monteiro


Leio na Rede: “Entre 3 Mundos” é seu primeiro livro que faz parte de uma série, enquanto “De Olhos Fechados” é um livro único. Quais as diferenças no momento de criação da história ao escrever uma série e um livro único? Você gostou da experiência de escrever uma série?

Lavínia Rocha: Escrever um livro único é juntar um “início, meio e fim” em uma história só. Já em uma série, é como se separássemos esses elementos, mas ao mesmo tempo cada história tem o próprio “inicio, meio e fim”. Parece contraditório (haha), mas é assim que eu me sinto escrevendo a série Entre 3 mundos. Cada livro funciona do seu jeito, com a sua trama, mas precisa de ganchos para a continuação.
É mais difícil escrever uma série porque você não pode, por exemplo, mudar algo que já citou no primeiro livro para que uma ideia nova funcione no segundo. É como se eu tivesse menos liberdade, mas estou amando escrever uma série! Acho gostoso conviver mais tempo com os personagens e fazer com que eles amadureçam ao longo dos volumes. Ainda nem terminei o segundo livro e já sei que vou morrer de saudade dos meus personagens quando acabar tudo (por enquanto, penso em uma trilogia).

Leio na Rede: Qual personagem que você escreveu, é seu favorito? (pergunta cruel haha)

Lavínia Rocha: Totalmente cruel! Eu geralmente tenho um amor especial pelas amigas das personagens principais. Adoro a Bianca, de De olhos fechados, e a Sol e a Nina, de Entre 3 mundos. Mas dentre as três, talvez a Nina seja a minha predileta. Ela é inteligente e madura, sabe dar os melhores conselhos e é superenvolvida em lutas sociais (isso é mais mostrado na continuação).

Agora não me faça escolher a preferida das protagonistas, não tem como decidir (hahaha)!

Leio na Rede: Quem você admira no mundo literário?

Lavínia Rocha: Admiro muito o Pedro Bandeira, Thalita Rebouças, Paula Pimenta e Marina Carvalho.

Leio na Rede: O que podemos esperar da sequência de Entre 3 Mundos?

Lavínia Rocha: Respostas para várias das perguntas que os leitores se fazem ao terminar Entre 3 mundos (haha), romance, como a Lisa está lidando com as descobertas do primeiro livro, novos problemas, novos segredos, novas descobertas...
Acho que chega, né? Senão acabo dando muitos spoilers (segurar a língua é uma das minhas maiores dificuldades, haha). Espero que os leitores curtam ainda mais a continuação!

Leio na Rede: Deixe um recado para os jovens escritores e leitores.

Lavínia Rocha: Para os jovens escritores: nunca deixem alguém ou algo te desmotivar! Sempre vão aparecer algumas pedrinhas no caminho, mas continue andando!. A carreira de escritor não é fácil e exige muita determinação, por isso trace metas, estabeleça objetivos e corra atrás para conquistá-los! É muito importante não se permitir desistir!
Para os jovens leitores: continuem no mundo da literatura, porque não tem coisa melhor, né? É o jeito mais eficiente de ser várias pessoas e de viver em vários lugares sem nem precisar sair do lugar!

Beijo enorme para você, Gaby, e para todos os leitores!

Gostaram de conhecer um pouquinho mais sobre a Lavínia? Não deixem de conhecer seu trabalho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário